quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

O Diário de Lara

Mãe, eu ainda te amo tanto...
Preciso tanto de você...
Se você estivesse aqui para ver o estado da nossa casa...
As paredes todas sujas de sangue, de suor... Os cômodos mais claros sem as cortinas... Os móveis empoeirados, os jardins secos e mal cuidados, o mato cresce alto no campo e as folhas invadem o salão.
Nossa! Onde está toda aquela gente que cuidava de mim? Agora sei a falta que fazem... Já nem como mais na mesa, ela perdeu o seu significado. Família!
Mãe! Eu cresci! Se a senhora estivesse aqui...Mas no fim dessa guerra, o que vai restar?Mas o seu túmulo está lá, eu velo por ele, é o único lugar onde as flores ainda desabrocham.
Mãe! Agora eu sou uma mulher!Acho que ainda posso sorrir diante da dor, meu cabelo está horrível, minhas unhas pretas... E eu ainda não aprendi a tocar piano.
Mãe, ninguém me ensinou!Por que não engoli a raiva quando devia?
Por que não pedi desculpas quando devia?
Por que não disse “eu te amo” quando devia, hein mãe?

Esta guerra me tirou muitas coisas menos a esperança.

by: Elaine França
Romance: ...E Nada é Para Sempre... pág.169/Ano de 2004.

3 comentários:

Lídia Andrade disse...

você tá escrevendo um livro? ou vc tirou isso de um livro?

Nana disse...

Não tirei de nenhum livro...Esse texto faz parte dos meus rabiscos... Eu escrevi isso em 2004...Faz tempo!!!

Debbie disse...

Oi, Nana *-*
Eu gostei desse texto... se faz parte dos seus rabiscos, gatinha, acho que você deveria publicá-los! Li alguns outros e achei-os incríiiveis *-* Parabéns ^^

Obrigada por visitar o Lollipop ^^ Ficamos felizes de ver você por lá, volte sempre ^^

Feliz Ano Novo (caso a gente meio que não se fale até ano que vem - ok, essa brincadeira foi podre xD)!!!

Debbie xx