quinta-feira, 1 de abril de 2010

O Prólogo da Guerra


Após a intensa chuva no final da tarde, um novo dia nasceu trazendo consigo a tão esperada noticia... A Guerra Civil Norte Americana havia sido deflagrada como forma de revide nortista ao ataque do Forte Sumter na Carolina do Sul. A euforia do combate rapidamente se espalhou entre os homens livres, escravos, senhores... Para muitos, o sonho de liberdade estava bem próximo de suas mãos, o sonho de um novo começo... Como general oficial das tropas confederadas, o general Robert Lee embainhou seu revólver de prata e galopou com seus soldados rumo ao front, lembrou-se do rosto de sua querida mulher, mas deixou para trás os frutos da tão feliz união. Desesperadas e atônitas, as irmãs Lee clamaram pelo regresso do pai embora suas lágrimas jamais fossem ouvidas... Agora estavam sós, abandonadas em meio a uma guerra que não haviam iniciado, sozinhas em seu lar esperando por noticias bondosas de uma época que jamais se apagaria da história do continente americano.


Gentemmm, não percam minha história no blog ...E Nada é Para Sempre.
bjsss

4 comentários:

Hamilton H. Kubo disse...

Uma época que jamais se apaga.
Quantas épocas temos em nossas memórias?
Épocas de fato jamais poderão ser apagadas.
Prova que nossas mentes são brilhantes, ja que assim são por que não as utilizarmos para trazer o bem a todos, não?

´Parabéns pela postagem.

Beijos!

patyemo disse...

xD amore.

bju =)

Luana Ferraz disse...

Essa foi uma das guerras que mais matou seres humanos dentro de uma nação internamente seccionada... Anos depois Estados Unidos nuam perspectiva de superação e destaque.
Onde a liberdade à força das objetibvidades de Linconl trouxe de volta a reconstração de uma nação unida e abolicionista!

Legal o seu espaço.

Vicky D. disse...

=^.^=
Parabéns pela postagem. Muito boa, mesmo (mesmo mesmo)

bjão =^.^=