domingo, 8 de agosto de 2010

Eu

Você não é o mais belo
Não é o mais correto
E eu não sei por que me presto...
A te querer perto de mim
Ah, vida... Por que me pregaste essa peça?

Me pegaste como exemplo para irremediavelmente morrer de amor!

9 comentários:

Jυℓyαnα ツ disse...

As vezes somos escolhidos para missões para as quais não conseguimos enxergar a finalidade mais o tempo acaba nos mostrando que aquele era o melhor caminho...
Seu blog esta cada vez mais lindo *-*





;*

Andrielle Gomes. disse...

morrer de amor. no amor nos perder. e mesmo sem querer nos vemos entregues nele sem nem mesmo compreender.
Belo! :)

Raquel disse...

perfeitooooooooooooo !

Vicky Doretto disse...

É... a vida faz o que ela quer da gente... mas o maor é assim

bjão =^.^=

pablorochapoesias.com disse...

No fim são essas "peças" da vida que nos constroem. Gostei da reflexão!

Beijo.

Lídia Andrade disse...

Amiga, eu sempre acho admiravéis seus textos!
Beijos ;*

Isabela C. Santos disse...

Ahhh, o amor...

espaço escola disse...

Nana olá tudo bem recebi sua visita no meu bloger...obrigadão pela força não é fácil manter atualizado com novas notícias mais continuamos na luta...me add no seu msn...profricardonabuco@hotmail.com...

Poemas e Amizades disse...

Oi, Elaine, boa noite!!
Bem, a vida muitas vezes leva a fama de nos pregar as peças de que, na verdade, os autores somos nós mesmos! Eu chegaria a dizer que nós somos que pregamos peças na vida!
Ora, o que há de bom, como deve ser bom, naquilo de que reconhecemos abertamente o que há de ruim??? Não estou certo? Porque, se de bom nada houvesse, seria masoquismo e loucura, mas certamente há, e como há de ser insuperável!!!
Como poema, um encanto, uma peça linda!
Um abraço carinhoso
Lello Bandeira